Pesquisar neste blog

Carregando...

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Resenha: Tempo de Esperas - Pe Fábio de Melo


A escrita é uma aventura perigosa. Nela o coração humano se registra e se revela.” p. 9


Instigante, provocante e envolvente o livro TEMPO DE ESPERAS: o itinerário de um florescer humano, narra o encontro de dois filósofos Alberto e Abner, cujas histórias de vida se cruzam pela busca de caminhos contrários, a partir de uma desilusão amorosa.

Alberto, jovem universitário, busca na vida acadêmica o sucesso, a realização, a fama e o reconhecimento outrora alcançados por Abner, que abriu mão de tudo, isolando-se do mundo, para viver como simples florista, após a morte de sua esposa Flora.

Estamos no que falamos, ou porque escondidos, ou porque revelados. Mas também estamos no que ocultamos.” p. 14

Por não compreender o motivo que levou sua amada Clara a abandoná-lo, trocando-o por um jardineiro, e em busca de respostas para sua dor, Alberto decide se corresponder com o famoso professor Abner. Os dois debatendo sobre 'o tempo de esperas', no anseio de compreendê-lo, passam então a trocar cartas, pelas quais, Abner oferece ao jovem instrumentos, fazendo-o refletir sobre questões universais e desafiadoras como vaidade, paciência, amor, insucesso, amizade, felicidade.

Deve ser insuportável ficar ao lado de quem não precisa de ninguém.” p. 72
Inicia-se assim uma jornada de buscas e trocas. E nesse encontro, os dois se descobrem em lições de sabedoria, nas quais a filosofia, a razão e o coração convivem pacificamente, pois mesmo caminhando em direções opostas, Abner e Alfredo, o passado e o futuro, se veem diante da grande aventura humana que é viver as esperas.

Nós nos transformamos naquilo que guardamos.” p.101

Este é daqueles livros, cujo conteúdo atemporal, não se limita à única leitura, nem da mesma página nem do todo. Daquelas histórias que remexem sentimentos, que dá vontade de indicar e presentear, que merece ser revisitada sem o perigo do tédio. Livro para estar na cabeceira.

Título: Tempo de Esperas: o intinerário de um florescer humano
Autor: Pe Fábio de Melo
Páginas: 165
Editora Planeta





domingo, 12 de julho de 2015

Resenha: Parábolas - Pe Reginaldo Manzotti



"Deus é sumo bem e suma bondade." p. 18


Neste segundo volume da Trilogia Sinais do Sagrado, Pe Reginaldo Manzotti explica didaticamente oito parábolas usadas por Jesus pelos caminhos que percorreu.

"Quando for rezar, comece perdoando" Sto Agostinho p 88

As parábolas são instrumentos simples, atemporais e acessíveis de comunicação, que metaforizam situações as quais levam a perceber lições, podendo envolver o interlocutor, fazendo-o se identificar com o conteúdo e refletir.

"Será que se Deus passasse com uma bandeja pedindo 'Apresenta os frutos de tua fé', nõs daríamos conta de que estamos de mãos vazias?" (Parábola do Semeador Mt 13, 1-23) p.31

Temos então uma leitura leve. Uma aula bíblica que nos leva não só a conhecer a Palavra, mas pensá-la, repensá-la e aprender para Evangelizar e praticar os ensinamentos de Jesus. O livro já um instrumento dessa Evangelização. A mim, o livro conquistou pelo título, pois não havia lido nada de Pe Reginaldo Manzotti, entretanto, diferente do livro que li anteriormente cuja resenha foi postada  aqui há poucos dias - O Discípulo da Madrugada do Pe Fábio de Melo - dessa vez eu procurava algo para ler com conteúdo bíblico.

O ponto mais marcante para mim, foi a parábola do Bom Samaritano, pois embora a conhecesse, encontrei alguma novidade na forma como foi explicada no livro e que me tocou profundamente. As demais parábolas seguem o mesmo padrão e explicitam de maneira generosa os ensinamentos de Jesus.

"Às vezes, o pedido de ajuda vem em plena madrugada; noutras, é alguém da família que já não aguentamos mais ajudar e novamente nos solicita. Pode vir de uma pessoa a quem já demos uma, duas, três chances, mas ainda assim ela pisou na bola, e humanamente pensamos: 'Chega!'." p. 121

Cada bloco de parábola, finaliza com um testemunho, uma Salmo e uma oração. 

Conforme Frei Clodovis Boff, "Evangelizar é voltar ao Evangelho sem rodeios". Pois o conteúdo deste livro cumpre perfeitamente este papel. Evangelizar é preciso.